Iprem define datas para pagamento

A Presidente do Sipromag, Dulcinéia Costa, participou de uma reunião na sede do Iprem (Instituto de Previdência Municipal de Pouso Alegre) com o Presidente da Instituição, Eduardo Felipe Machado, para receber informações sobre a programação de ressarcimento dos servidores que tiveram nos últimos anos recolhimentos debitados indevidamente em verbas que não integram o cálculo da aposentadoria. O Presidente do Sisempa, Leon Camargo, também participou do encontro.

                Na reunião ficou definido que todos os servidores que ficou comprovado que tiveram verbas deduzidas de seus vencimentos sem indevidamente irão começar a receber imediatamente os valores em suas contas bancárias, sendo que a previsão é que a partir de hoje todos os servidores enquadrados nessa situação devem receber suas verbas indenizatórias no máximo nos próximos cinco dias. A lista de servidores com direito a indenização foi fechada após minuciosa avaliação, estudos e triagem dos profissionais do Iprem.

Nota enviada pela Assessoria de Comunicação do Iprem:

IPREM INJETA MAIS DE R$ 3 MILHÕES NA ECONOMIA DE POUSO ALEGRE COM DEVOLUÇÃO PARA SERVIDORES MUNICIPAIS

Valores são referentes a contribuição previdenciária paga por alguns servidores sobre verbas que não vão para a aposentadoria.

O Iprem, Instituto de Previdência Municipal de Pouso Alegre, concluiu os cálculos e já começou a devolver o que foi descontado a mais na folha de pagamento de servidores municipais efetivos.

Os servidores da prefeitura que têm algum valor a ser restituído já está recebendo a devolução através de depósito em conta bancária. O valor que o Iprem está pagando é de R$ 3,1 milhões em restituições.

O QUE É DEVOLVIDO

Todo servidor municipal contribui com 11% de seu salário para garantir sua aposentadoria. Ao efetuar o pagamento do funcionário público efetivo, a prefeitura já desconta a contribuição previdenciária e repassa ao Iprem, como determina a legislação.

Acontece que esse desconto de 11% englobava verbas que não incorporam na aposentadoria, como 1/3 de férias, horas extras, ou outras gratificações e benefícios recebidos pelo servidor.

A situação de cada servidor é diferente, dependendo do que recebia e do que foi descontado.

Há pessoas que pagaram a contribuição previdenciária apenas sobre o que vai para a aposentadoria. Neste caso, elas não têm devolução previdenciária a receber.

Os servidores que entraram com processo judicial não fazem parte da devolução administrativa.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *